1 Erradicar a extrema pobreza e a fome

Nosso trabalho pelo Objetivo

Brasil

O Brasil foi um dos países que mais contribuiu para o alcance global da meta A do ODM 1, reduzindo a pobreza extrema e a fome não apenas pela metade ou a um quarto, mas a menos de um sétimo do nível de 1990, passando de 25,5% para 3,5% em 2012. Isto significa que o país, considerando os indicadores escolhidos pela ONU para monitoramento do ODM 1, alcançou tanto as metas internacionais quanto as nacionais. Outro fator em que houve mudanças foi o analfabetismo na extrema pobreza. Em 1990, a chance de uma família liderada por um analfabeto estar em situação de pobreza extrema era 144 vezes maior que a de uma família liderada por alguém com curso superior. Essa razão diminuiu em 2012 e passou a ser de apenas 11:1.


Mundo

Pessoas em situação de pobreza extrema são aquelas que apresentam uma renda média de R$ 2,36 por dia, ou R$ 71,75 por mês. Segundo dados apresentados pelo Relatório dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2013, o mundo alcançou a meta de reduzir a pobreza extrema à metade do nível registrado em 1990 cinco anos antes do estipulado. Porém, ainda que a parcela da população mundial considerada extremamente pobre tenha passado de 47% para 22%, mais de 1,2 bilhão de pessoas continuam a viver nessa condição. A cada oito indivíduos, pelo menos um não tem acesso regular a quantidades suficientes de alimento para suprir suas necessidades energéticas. Além disso, mais de 100 milhões de crianças continuam em estado de desnutrição, enquanto 165 milhões são raquíticas.


Notícias

Figo e Nedved se juntam a Ronaldo e Zidane em Jogo Contra a Pobreza

Luís Figo e Pavel Nedved, além do lendário árbitro Pierluigi Collina, estão entre as mais recentes estrelas do futebol internacional que confirmaram presença no 9º Jogo Contra a Pobreza, no dia 13 de Dezembro.Liderados por Ronaldo e Zidane, a partida reun... Mais

-0.66 anos
até
o final de 2015

1990 2015
Metas para o Objetivo 1
  1. Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda inferior a um dólar PPC por dia.
    • Proporção da população que ganha menos de 1 dólar PPC por dia
    • Índice de hiato de pobreza (incidência x grau de pobreza)
    • Participação dos 20% mais pobres da população na renda ou no consumo nacional
  2. Reduzir a um quarto, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda inferior a 1 dólar PPC por dia.
    • Participação dos 20% mais pobres e dos 20% mais ricos na renda nacional
    • Distribuição das pessoas entre os 10% mais pobres e o 1% mais rico, por cor/raça
    • Evolução do coeficiente de Gini no Brasil
    • Taxa de crescimento médio anual dos rendimentos, por décimo da distribuição de renda
    • Evolução da pobreza extrema no Brasil por cor/raça
    • Evolução da pobreza extrema segundo área de residência
    • Evolução da pobreza extrema por Regiões
    • Desnutrição protéico-calórica em crianças com menos de 1 ano e entre 1 e 2 anos de idade, nas áreas cobertas pela Estratégia Saúde da Família
    • Taxa de internação de crianças com menos de 1 ano de idade por desnutrição nas Regiões do Brasil
  3. Alcançar o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos, incluindo mulheres e jovens
    • Taxa de crescimento do PIB por pessoa empregada
    • Razão entre emprego e população dos dois sexos
    • Porcentagem de pessoas empregadas com renda inferior a 1 dólar por dia (dólar PPC)
    • Porcentagem de trabalhadores por conta própria e que contribuem para a previdência social, em relação ao emprego total
  4. Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população que sofre de fome.
    • Prevalência de crianças (com menos de 5 anos) abaixo do peso. Fontes: UNICEF e OMS
    • Proporção da população que não atinge o nível mínimo de crescimento dietético de calorias. Fonte: FAO
  5. Erradicar a fome entre 1990 e 2015.
    • Disponibilidade de kcal para consumo da população
    • Prevalência de crianças (com menos de 2 anos de idade) abaixo do peso, por Regiões
    • Prevalência de adultos (20 anos ou mais de idade) abaixo do peso
    • Prevalência de adultos com sobrepeso ou obesidade