Programa Jovens Mulheres Líderes é encerrado com cerimônia para a entrega de certificados às participantes

Durante o evento, também foram apresentados os resultados das atividades desenvolvidas ao longo dos nove meses de duração do projeto.

12 Dezembro 2014

do PNUD

As jovens líderes do programa Jovens Mulheres Líderes: Programa de fortalecimento em questões de Gênero e Juventude receberam das mãos de Jorge Chediek, representante residente do PNUD e coordenador do Sistema ONU no Brasil, os certificados de participação no projeto. A cerimônia foi realizada ontem na Secretaria Nacional da Juventude (SNJ).

“Achamos que a maior participação das mulheres na política, nas lideranças sociais, na liderança econômica para construirmos uma sociedade melhor vai contribuir na solução das mazelas que o Brasil ainda vive”, disse Chediek na ocasião. “Eu gostaria de manter um compromisso institucional do sistema das Nações Unidas: apoiar vocês muito além dos seus sonhos, participar dos juramentos de algumas de vocês como deputadas federais, vereadoras, secretárias federais. Quem de vocês vai ser a primeira?”, provocou.

O projeto, promovido pelo PNUD, ONU Mulheres e SNJ, incentivou o desenvolvimento das capacidades de liderança política e trabalhou as habilidades comunicativas das participantes a partir da troca de conhecimentos e conceitos da área da Comunicação. Para isso, as jovens participaram de intercâmbios de experiências com líderes estabelecidas no legislativo, executivo, sociedade civil e organismos internacionais.

O programa ainda proporcionou a reflexão sobre as questões de gênero e de juventude, a aproximação de realidades e estilos de liderança a favor dos direitos das mulheres, a inserção das jovens em diversos espaços de participação política voltados à juventude tais como seminários nacionais, oficinas temáticas, redes e fóruns e o desenvolvimento da capacidade de planejar e relatar resultados de atividades produzidas nos territórios de atuação.

Também foi construído um rico debate com as jovens em torno das questões de raça e etnia para a adaptação do Guia sobre Gênero, Raça e Etnia para jornalistas, ampliando-o para comunicadores de vários setores, com temas e linguagem atualizados às novas tecnologias e formas de comunicação.

Assista ao vídeo das jovens falando sobre suas visões da atual juventude:



Histórico

As inscrições do processo seletivo o para o programa Jovens Mulheres Líderes foram abertas em janeiro de 2014, tendo como objetivo selecionar jovens com alguma experiência em liderança comunitária ou ativismo feminista para participar de uma plataforma de fortalecimento de lideranças e promover a reflexão sobre as perspectivas de gênero e juventude no âmbito da efetivação dos direitos das mulheres.

O programa recebeu 345 candidaturas, das quais foram selecionadas 15 participantes e seis suplentes, garantindo a diversidade do grupo, com representantes indígenas, quilombolas, negras, LGBT, rurais e acadêmicas das cinco regiões do Brasil.

As jovens estiveram em Brasília por três vezes. Na primeira vez, de 31 de março e 4 de abril, foi promovida a troca de conhecimento entre elas e uma visita às arenas de poder onde as políticas de gênero são pautadas e negociadas, como a Secretaria da Mulher, a Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal e a Bancada Feminina da Câmara dos Deputados. As jovens também conheceram o Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea), a Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), a Secretaria Nacional da Juventude (SNJ), a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) e a ONU.

Durante a segunda visita, foram estabelecidas as duplas, compostas por uma jovem e uma líder mentora. Entre as mentoras estavam: Leila Rebouças e Priscilla Britto (Cfemea), Lourdes Rodrigues, Carolina Tokarsky e Renata Melo (SPM), Severine Macedo e Fernanda Papa (SNJ), Mônica de Oliveira (Seppir), Tássia Rabelo (SDH), Nadine Gasman (ONU Mulheres), Iara Bernardi e Janete Pietá (Câmara dos Deputados), Vanessa Grazziotin (Senado), Fernanda Lopes (UNFPA) e Lia Lopes (Jovens Feministas de São Paulo).

As duplas planejaram uma série de atividades conjuntas que fortalecem a atuação da jovem líder e que ampliam seu conhecimento sobre papéis, rotinas e sobre o trabalho de suas mentoras. Também foi estabelecido um diálogo online entre as participantes, por meio do Participatório da Juventude da SNJ.

Na terceira visita, que ocorreu entre 9 e 11 de dezembro, foi desenvolvido o workshop de mídia para reforçar as habilidades comunicativas das jovens líderes a partir da troca de conhecimentos, conceitos e exercícios práticos de Comunicação. O workshop contou com a participação de comunicadores e profissionais de mídia e validou a proposta e o conteúdo do Guia sobre Gênero, Raça, Etnia e Juventude para comunicadoras e comunicadores.
Raça - Jovens - Direitos Humanos - Participação política - Empoderamento das mulheres