Cuidado à gestante reduz mortalidade no CE

Projeto que busca melhorar o atendimento a grávidas, mães e bebês oferece babá para que mulheres não faltem às consultas médicas

11 Setembro 2006

Crédito: Prefeitura de Sobral / Divulgação

da PrimaPagina

Um projeto que busca oferecer atendimento médico a mães e gestantes e dar condições para que elas não faltem às consultas, e sigam recomendações como repouso, contribuiu para que, em menos de cinco anos, a mortalidade infantil recuasse em quase 60% no município de Sobral, no Ceará. Na prática, o programa Trevo de Quatro Folhas faz o monitoramento da saúde de mães e bebês da gravidez aos primeiros anos de vida da criança, fiscalizando se estão com exames e vacinas em dia, e disponibiliza uma pessoa para ajudar as mulheres nos afazeres domésticos quando necessário.

Criado em 2001, o programa é desenvolvido pela Secretaria de Saúde e Ação Social de Sobral foi um dos vencedores do Prêmio ODM Brasil e foi apresentado na Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade como modelo de projeto que pode ajudar o Brasil a cumprir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

O Trevo Quatro Folhas nasceu com o objetivo de ser uma estratégia de longo prazo para redução da mortalidade materna e infantil em Sobral. Além dos recursos da Prefeitura e do Ministério da Saúde, contribuem para manter o programa as doações de pessoas e empresas do município, que depois podem abater o valor do Imposto de Renda.

O nome do programa remete aos seus quatro focos de atuação: na gravidez; nos primeiros dias após o parto; no período neonatal (primeiro mês de vida do bebê); até a criança atingir 2 anos. Nessas quatro etapas, o projeto atua, de um lado, acompanhando a saúde de mães e gestantes com visitas domésticas — trabalho que visa facilitar a identificação de fatores de risco e estimular o planejamento familiar e o aleitamento materno exclusivo — e, de outro, ajudando essas mulheres diretamente, distribuindo cestas-básicas, fraldas e até enxovais a famílias pobres.

Um dos diferenciais do Trevo de Quatro Folhas é a “mãe social” — uma mulher escolhida pela comunidade que fica responsável por ajudar mães e gestantes em suas atividades cotidianas quando estas precisam ir ao médico, por exemplo. A pessoa, indicada em reunião com os moradores, é entrevistada pelos coordenadores do programa e, se aprovada, passa por um treinamento no qual aprende como executar os afazeres domésticos e como tratar gestantes, mães em período pós-parto e crianças, conta Noraney Alves Lima, coordenadora do projeto.

“Elas ajudam nos afazeres domésticos. Quando o médico recomenda repouso à gestante, por exemplo, elas fazem comida, cuidam da casa. Ou, se a mãe precisa ir ao médico e não tem com quem deixar os filhos, a mãe social cuida das crianças”, explica Noraney. “Isso contribuiu muito para que as mães deixassem de faltar às consultas e cumprissem as recomendações médicas”, afirma.

Além da mãe social, o projeto oferece um “kit gestante” para as famílias pobres. A ajuda consiste em um enxoval com nove peças para a criança, o que inclui fraldas e roupas. As beneficiadas são identificadas pelas equipes do programa Saúde da Família, que visitam mães e gestantes periodicamente.