Relatórios de Desenvolvimento Humano Globais

Relatório de Desenvolvimento Humano 2015

Relatório do Desenvolvimento Humano 2015

O Trabalho como Motor do Desenvolvimento Humano

O Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) 2015 "O Trabalho como Motor do Desenvolvimento Humano" foi lançado em 14 de dezembro de 2015, em Adis Abeba, na Etiópia.

O RDH 2015, intitulado "O Trabalho como Motor do Desenvolvimento Humano", defende trabalho justo e decente para todos. Incentiva os governos a encarar o trabalho numa perspectiva que vai além dos empregos remunerados para considerar o trabalho nas suas múltiplas formas, como a prestação de assistência não remunerada, o trabalho voluntário e o trabalho criativo, todas elas importantes para o desenvolvimento humano.

O relatório sugere que, apenas adotando essa visão mais ampla, será possível aproveitar verdadeiramente os benefícios do trabalho em prol do desenvolvimento sustentável.

Saiba mais:

     
Press Release
Downloads

Relatório do Desenvolvimento Humano 2014

Relatório de Desenvolvimento Humano 2014

Sustentando o Progresso Humano: Redução da Vulnerabilidade e Construção da Resiliência

O Relatório de 2014 destaca a necessidade de promover as escolhas das pessoas e proteger os resultados positivos da promoção do desenvolvimento humano. Ele considera que a vulnerabilidade ameaça o desenvolvimento humano - e a menos que seja abordada de forma sistemática, pela mudança de políticas públicas e normas sociais, o progresso não será nem equitativo nem sustentável.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2013

Relatório de Desenvolvimento Humano 2013

A Ascensão do Sul: Progresso Humano num Mundo Diversificado

Uma das evoluções mais interessantes dos últimos anos tem sido o amplo progresso registrado no desenvolvimento humano de muitos países em desenvolvimento e a sua emergência no cenário mundial: a “ascensão do Sul”. A crescente diversidade de vozes e poderes questiona os princípios que nortearam os tomadores de decisão e serviram de base às principais instituições do período pós Segunda Guerra Mundial. Estas vozes mais fortes do Sul exigem estruturas mais representativas de governança internacional que expressem os princípios da democracia e da equidade.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2011

Relatório de Desenvolvimento Humano 2010

Sustentabilidade e equidade: Um futuro melhor para todo

O grande desafio do desenvolvimento do século XXI é a salvaguarda do direito das gerações de hoje e do futuro a vidas saudáveis e gratificantes. O Relatório do Desenvolvimento Humano de 2011 oferece novas e importantes contribuições para o diálogo global sobre este desafio, mostrando como a sustentabilidade está indissociavelmente ligada à equidade – a questões de imparcialidade e justiça social e de um maior acesso a melhor qualidade de vida.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2010

Relatório de Desenvolvimento Humano 2010

A Verdadeira Riqueza das Nações: Vias para o Desenvolvimento Humano

A 20ª edição do Relatório de Desenvolvimento Humano faz um balanço sobre as últimas décadas e identifica tendências na evolução do IDH. A análise demonstra que não existe uma fórmula única para o desenvolvimento sustentável e que é possível obter ganhos notáveis no longo prazo mesmo sem um crescimento econômico importante. A publicação apresenta uma nova metodologia de cálculo do IDH e traz três outros novos indicadores: o IDH ajustado pela desigualdade, o Índice de Desigualdade de Gênero e o Índice de Pobreza Multidimensional. 

Relatório do Desenvolvimento Humano 2009

Relatório de Desenvolvimento Humano 2009

Ultrapassar Barreiras: Mobilidade e desenvolvimento humanos.

O relatório traz um detalhado panorama sobre a migração no mundo, destruindo estereótipos que representam os migrantes como pessoas que “roubam os empregos” ou que sempre estão em situação de extrema vulnerabilidade. O estudo mostra que o número de migrantes no mundo chega perto de 1 bilhão, sendo 740 milhões dentro dos países e 214 milhões internacionais. Para quem vem de países mais pobres, avaliam os pesquisadores, a migração geralmente representa melhoria de condições de vida, embora também impliquem em uma série de riscos.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2007/2008

Relatório de Desenvolvimento Humano 2007/2008

Combater a mudança do clima: Solidariedade Humana em um mundo dividido.

O relatório faz um mapeamento da ameaça representada pelas mudanças climáticas e afirma que o mundo caminha para um ponto em que os países e as pessoas mais pobres podem ficar permanentemente aprisionados num ciclo de pobreza. O estudo recomenda que as emissões de gases do efeito estufa, em 2050, sejam reduzidas em pelo menos 80% em relação a 1990. A publicação traz também o ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), em que pela primeira vez o Brasil aparece entre os países de alto desenvolvimento humano.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2006

Relatório de Desenvolvimento Humano 2006

Além da escassez: poder, pobreza e a crise mundial da água.

O relatório mostra que quase 2 milhões de crianças morrem todos os anos por falta e um copo de água limpa e banheiro em suas casas. Fora dos domicílios, a disputa pela água para produção se intensifica, prejudicando os menos favorecidos das áreas rurais e o meio ambiente. O texto recusa a idéia de que a crise mundial da água é resultado da escassez e defende que a pobreza, o poder e as desigualdades é que estão no âmago do problema. O relatório aponta que, no ritmo atual, as metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio relacionadas saneamento e água não serão cumpridas no prazo.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2005

Relatório de Desenvolvimento Humano 2005

Cooperação Internacional Numa Encruzilhada.

O desenvolvimento humano não se esgota nos Objetivos do Milênio, mas as metas são uma referência crucial para uma nova ordem mundial, mais justa, menos pobre e menos insegura. Para atingi-las, o mundo depende da cooperação internacional. Cooperação essa que está sustentada em três pilares: a o aumento da ajuda dos países ricos ao desenvolvimento; o estabelecimento de regras mais justas para o comercio internacional; e a ampliação do conceito de segurança para além das fronteiras nacionais, com a redução dos conflitos armados nas regiões mais vulneráveis, como a África.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2004

Relatório de Desenvolvimento Humano 2004

Liberdade Cultural num Mundo Diversificado.

Para que o mundo atinja os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e erradique a pobreza, tem que enfrentar primeiro, com êxito, o desafio da construção de sociedades culturalmente diversificadas e inclusivas. Fazê-lo com êxito é condição prévia para os países se concentrarem adequadamente em outras prioridades do crescimento econômico, a saúde e a educação para todos os cidadãos. O desenvolvimento humano tem a ver, primeiro e acima de tudo, com a possibilidade das pessoas viverem o tipo de vida que escolheram e com a provisão dos instrumentos e das oportunidades para fazerem suas escolhas.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2003

Relatório de Desenvolvimento Humano 2003

Um pacto entre nações para eliminar a pobreza humana.

O novo século começou com uma declaração de solidariedade e uma determinação sem precedentes de livrar o mundo da pobreza. Em 2000, a Declaração do Milénio da ONU, adoptada na maior reunião de chefes de Estado de sempre, comprometeu países — ricos e pobres — a fazer tudo o que puderem para erradicar a pobreza, promover a dignidade e a igualdade humanas e alcançar a paz, a democracia e a sustentabilidade ambiental. Os líderes mundiais prometeram cooperar para atingir metas concretas de avanço do desenvolvimento e redução da pobreza, até 2015, ou antes.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2002

Relatório de Desenvolvimento Humano 2002

Aprofundar a democracia num mundo fragmentado.

Encomendando pelo PNUD, o relatório celebra o crescimento da democracia no mundo ao longo das últimas décadas, mas alerta para a necessidade de se evitar retrocessos em várias regiões. Ao mesmo tempo, o RDH 2002 defende o aprofundamento da democracia aos níveis local, nacional e mundial, como a reforma das estruturas de poder de organismos internacionais, a exemplo de Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial e Organização Mundial do Comércio. Tal como nos anos anteriores, o Relatório classifica 173 países de acordo com o seu nível de desenvolvimento humano.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2001

Relatório de Desenvolvimento Humano 2001

Fazendo as novas tecnologias trabalhar para o desenvolvimento humano.

Encomendando pelo PNUD, o relatório celebra o crescimento da democracia no mundo ao longo das últimas décadas, mas alerta para a necessidade de se evitar retrocessos em várias regiões. Ao mesmo tempo, o RDH 2002 defende o aprofundamento da democracia aos níveis local, nacional e mundial, como a reforma das estruturas de poder de organismos internacionais, a exemplo de Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial e Organização Mundial do Comércio. Tal como nos anos anteriores, o Relatório classifica 173 países de acordo com o seu nível de desenvolvimento humano.

Relatório do Desenvolvimento Humano 2000

Relatório de Desenvolvimento Humano 2001

Direitos humanos e desenvolvimento humano - pela liberdade e solidariedade.

Todo ser humano deve ter assegurados: liberdade, bem-estar e dignidade. O Relatório considera os direitos humanos como intrínsecos ao desenvolvimento, e o desenvolvimento como meio para a efetivação dos direitos humanos. Para garantir os direitos de todas as pessoas em todos os países serão necessárias ações e compromissos dos principais atores da sociedade. Ao identificar a luta pelos direitos humanos como algo comum a todos os povos, o Relatório conclui que os avanços no século XXI acontecerão na medida em que sejam enfrentados interesses políticos e econômicos arraigados.